O treino de musculação de um fisiculturista é muito diferente do treino de musculação de um praticante recreacional. E uma das principais diferenças está no foco durante o treino.

O treino de um atleta começa horas antes dele chegar na academia, já na parte mental. E quando ele começa o treino, ele não vai simplesmente empurrar ou puxar um peso, mas sim executar um movimento com perfeição e de forma concentrada.

Neste sentido, Calatayud et al (2015) demostraram que quando o supino é realizado de forma concentrada e com foco (pensamento) na ativação muscular dos músculos peitoral maior ou o tríceps braquial, a ativação foi maior quando comparado com apenas empurrar a barra, sem estar concentrado. O aumento da atividade muscular de um músculo não ocorreu às custas da diminuição da atividade do outro músculo. Por exemplo, ao focar na ativação do músculo tríceps, a atividade do músculo peitoral não diminuiu, pelo contrário, o foco no uso do músculo tríceps também aumentou o EMG do peitoral.

Isso já é conhecido de atletas e treinadores de fisiculturismo, por isso o momento do treino de um atleta é um dos momentos mais importantes do dia dele. Quanto mais focado no treino, quanto mais o atleta conseguir se “blindar” de fatores externos que possam atrapalhar a sua rotina de treinos, maiores são os ganhos de força e massa muscular. Fora isso, os riscos de lesões também diminuem quando o treino é feito com base em movimentos perfeitos e concentrados!

Referências bibliográficas:

Calatayud J, et al. Importance of mind-muscle connection during progressive resistance training. Eur J Appl Physiol. 2016 Mar;116(3):527-33