Fisiculturismo é esporte? Entenda!

Atleta treinando o peitoral fazendo crossover na polia

O fisiculturismo, ou “bodybuilding”, em inglês, é uma prática que busca a construção e o desenvolvimento muscular do corpo humano para competições, nas quais os fisiculturistas exibem de forma artística seus corpos com músculos acentuados, definidos e simétricos, gerando um efeito de ordem estética.

No entanto, será que o fisiculturismo é esporte, ou não? É possível considerá-lo dessa forma? São muitas as discussões e polêmicas que permeiam o assunto. Por conta disso, elaboramos este artigo para sanar todas as dúvidas sobre fisiculturismo e sobre o que faz um atleta fisiculturista. Acompanhe!

Afinal, o que é fisiculturismo?

Sem mais suspense: o fisiculturismo é um esporte! Seu principal objetivo envolve aumentar o tamanho dos músculos do corpo, de forma que os atletas fisiculturistas sejam avaliados a partir de critérios como proporção, volume, tamanho, simetria e harmonia estética.

Para atingir esses critérios, os fisiculturistas enfrentam uma rotina rígida e bastante disciplinada, com treinos físicos verdadeiramente intensos, além de seguirem uma dieta específica e rigorosa.

Atleta de fisiculturismo treinando o bíceps com halter

Nesse sentido, é importante dizer que o fisiculturismo vai muito além do levantamento de pesos na musculação. Assim como outros esportes, exige muito da mente do atleta, que precisa ter controle emocional e resiliência para atingir e superar suas próprias metas, além de saber lidar com as fortes emoções que fazem parte de todo ambiente competitivo.

Como o fisiculturismo surgiu?

A história do fisiculturismo remonta à Grécia Antiga e à origem das Olimpíadas, pois já havia atletas olímpicos que competiam em provas que utilizavam força, como arremesso de dardos e discos, que exigiam resistência e um corpo musculoso por parte dos competidores.

Fisiculturista posando para foto

Entretanto, vale lembrar que a civilização grega antiga também já valorizava e cultuava o “corpo perfeito”, isto é, simétrico e harmonioso, como vemos em tantas obras de arte desse período, como esculturas e pinturas.

Saltando para a era moderna, foi o alemão Eugen Sandow o responsável por tornar o fisiculturismo um esporte mundialmente conhecido. Bem no início do século 20, em 1901, ele organizou um concurso que fez com que o esporte se espalhasse pelo restante da Europa e pela América.

A partir disso, a popularidade do esporte foi aumentando cada vez mais e, em 1946, é criada a Federação Internacional de BodyBuilders (IFBB). Atualmente a federação tem 174 países filiados, sendo também a responsável pelo maior campeonato de fisiculturismo do mundo, o Mr. Olympia.

Quais são as categorias do fisiculturismo?

Agora que você já sabe que o fisiculturismo é um esporte e que surgiu há muito tempo, vamos explicar alguns detalhes sobre suas categorias de competição.

Em primeiro lugar, as competições de fisiculturismo são separadas em duas modalidades, masculina e feminina, e cada uma tem suas regras e seus critérios de avaliação. Entretanto, as duas envolvem a análise da definição e a densidade musculares.

Categorias masculinas

As categorias masculinas de fisiculturismo são as seguintes:

    • Fisiculturismo clássico: os atletas buscam o físico chamado “clássico”, com um volume muscular menos ostensivo. São avaliados critérios como linhas, proporções, definição, nível de gordura corporal e outros detalhes;
    • Men’s Physique: aqui também não se trata de um desenvolvimento muscular que atinja seu máximo. Os competidores treinam com pesos para ter um shape mais atlético, com tronco em “V” (ombros largos e cintura fina). Os critérios passam pela simetria, musculosidade, além da postura e presença de palco;
    • Men’s Bodybuilding Open: reúne as lendas do esporte, sendo a categoria mais antiga. Não há limite de peso, e os atletas devem ter o maior volume muscular possível, com um condicionamento físico extremo. Também são critérios de avaliação a proporção entre membros superiores e inferiores, bem como as linhas e harmonia estética como um todo;
    • 212 libras: os competidores precisam ter no máximo 212 libras, ou seja, até 94 kg. Não há limite de altura, no entanto, os atletas dessa categoria costumam ser mais baixos. O desafio é manter o equilíbrio do volume muscular dentro desses parâmetros, garantindo a simetria;
    • Wheelchair: participam dessa categoria atletas com grande volume muscular e que se locomovem por meio de cadeira de rodas.

Categorias femininas

As categorias do fisiculturismo feminino são as seguintes:

  • Wellness: o objetivo é alcançar um corpo com baixa gordura e coxas e glúteos maiores que a parte superior. São avaliados critérios como volume muscular, condicionamento, proporção entre membros superiores e inferiores (estes mais desenvolvidos), além da presença de palco;
  • Bikini: é necessário ter um volume muscular menor, porém tonificado. Os traços femininos devem ser valorizados, além da simetria e a harmonia. O objetivo é alcançar o equilíbrio entre um físico mais atlético e a beleza feminina;
  • Woman’s Physique: o objetivo é desenvolver os músculos do corpo ao máximo, no entanto, respeitando a silhueta feminina. Ou seja, busca-se o equilíbrio entre uma forma física atleta, porém, feminina;
  • Fitness: a ideia é atingir um shape em forma de “Y”, isto é, com um desenvolvimento muscular mais acentuado nos membros superiores do que os inferiores. Portanto, são valorizados ombros e dorsal mais largos, além do condicionamento e da presença de palco;
  • Figure: nessa categoria, os jurados querem físicos mais volumosos, o que exige um alto nível de definição dos músculos das competidoras;
  • Woman’s Bodybuilding: assim como no Men’s Bodybuilding Open, não há limite de peso, o objetivo sendo o máximo desenvolvimento da musculatura. Essa é a categoria com as maiores atletas femininas.

Como funciona uma competição de fisiculturismo?

Assim como em outros esportes, os atletas de fisiculturismo participam de campeonatos, nos quais devem se apresentar nos palcos, exibindo os próprios corpos em poses e coreografias, enquanto os jurados avaliam a pontuação de cada critério a ser observado.

Os competidores usam vestimentas como sungas e bikini, acentuando a forma física e chamando a atenção para os músculos e a definição. Cremes, óleos e loções costumam ser aplicados no corpo para ressaltar cada musculatura.

Um atleta de fisiculturismo posando para a foto

Além dos atributos físicos, a forma como os atletas se apresentam, através de coreografia, poses e presença de palco, também é avaliada. Se o atleta apresentar um físico excepcional conforme a sua categoria e fizer uma boa apresentação, as chances de receber notas altas aumentam.

Vale ainda dizer que as bancas julgadoras costumam ter 5 ou 7 árbitros, e cada competidor pode fazer uma apresentação de até um minuto. As poses e coreografias são criadas com o treinador do atleta fisiculturista.

Mr. Olympia: a maior competição de fisiculturismo do mundo

Entre as inúmeras competições de fisiculturismo, nacionais e internacionais, a maior e mais importante é o Mr. Olympia. Para se ter uma noção, o monstro Arnold Schwarzenegger já passou por lá como um ganhador, tornando-se um dos maiores fisiculturistas da história.

Esse ano, o evento ocorre de 10 a 13 de outubro, em Las Vegas, e o Brasil já tem presença confirmada no evento, junto dos atletas da Nação Darkness!

A Darkness se une ao Mr. Olympia como um patrocinador oficial, mostrando a relevância do fisiculturismo em nosso país.

Afinal, como você pôde acompanhar neste artigo, fisiculturismo é esporte e muito mais: uma verdadeira lição de perseverança e resiliência, revelando o potencial extremo que o corpo humano pode realizar.

Gostou deste conteúdo? Então, aproveite e conheça mais sobre o Mr. Olympia!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdo Relacionado

plugins premium WordPress
Rolar para cima