Dieta flexível: o que é, como funciona, como fazer e cardápio

A dieta flexível é um conceito de dieta que permite que a pessoa flexibilize um percentual do seu dia para ingerir alimentos de forma livre. A dieta flexível acaba sendo bastante indicada para pessoas que preferem um plano alimentar com flexibilidade.

O padrão alimentar tem mudado bastante ao longo dos anos, cada vez mais as pessoas querem seguir um plano alimentar que seja fácil de executá-lo, e muitas das vezes quando os planos são mais rígidos temos uma baixa adesão no que diz respeito a seguir a dieta. Assim, uma das estratégias que vem se mostrando bastante interessante é a dieta flexível, no qual permite momentos de flexibilidade no plano alimentar a ponto de não prejudicar os resultados relacionados à composição corporal e até mesmo à saúde.

Nesse post mostraremos como você pode montar a sua dieta flexível e quais os benefícios você pode obter a partir dela, então continue lendo e anote todas as dicas.

O que é dieta flexível? Como ela funciona?

A dieta flexível é um conceito de dieta que permite que a pessoa flexibilize um percentual do seu dia para ingerir alimentos de forma livre, normalmente esse percentual é de 20%, ou seja, do total do seu dia que você irá ingerir de quilocalorias, cerca de 20% pode ser ingerido de forma livre, com alimentos industrializados, doces e etc.

Quais são as vantagens da dieta flexível?

Um lado muito positivo da dieta flexível é que nela você não precisa se restringir tanto, visto que 20% do seu dia pode ser flexibilizado com alimentos que você goste, assim, é mais fácil manter a sua adesão à dieta e conseguir mais resultados, ao mesmo tempo que esse processo de flexibilizar pode te auxiliar na educação nutricional, pois você irá experimentar alimentos novos. Ao contrário da dieta hipercalórica, também não se faz necessário bater metas de calorias ingeridas para favorecer o ganho de massa muscular.  

Muitas pessoas usam os 20% de quilocalorias livres para realizar suas refeições livres e, consequentemente, não precisam fugir na estratégia alimentar pois as quilocalorias que estão ingerindo através da refeição livre está contabilizada e calculada no plano alimentar.

E as desvantagens?

Ao mesmo tempo que a dieta flexível tem as suas vantagens, também devemos considerar as suas desvantagens pois com essa inclusão de alimentos livres. Pode ser que você obrigatoriamente queira todos os dias incluir alimentos que são ricos em açúcares e gorduras na sua dieta, assim, no longo prazo, você pode criar o paladar infantil e também atrasar os seus ganhos em resultados estéticos, então é sempre importante encontrar um equilíbrio na alimentação e não tornar os 20%  de alimentos livres como algo habitual na alimentação.

Para quem essa dieta é indicada?

A dieta flexível acaba sendo bastante indicada para pessoas que preferem um plano alimentar com alguma flexibilidade, e que ao mesmo tempo não estão tão preocupadas com os resultados estéticos. Pois, na medida que você flexibiliza o plano alimentar e ingere quilocalorias advindas de carboidratos simples e gorduras, além do sódio, pode ser que você acabe acumulando um pouco de gordura corporal e até mesmo tenha uma retenção líquida no corpo.

Assim, se você deseja alcançar os resultados de maneira mais rápida, não flexibilize tanto o seu plano, use os 20% de kcal livres somente no final de semana, e não todos os dias.

Como começar a dieta flexível?

como começar uma dieta flexível

  • Calcule as calorias e os macronutrientes

O cálculo deve iniciar de acordo com o seu objetivo, ou seja, se você deseja emagrecer, você precisa estar em déficit calórico e com uma quantidade menor de carboidratos e maior de proteínas na dieta. Falando em percentual podemos estipular cerca de 40-50% de carboidratos, 30-40% de proteínas e 25-30% de lipídeos.

  • Controle as quantidades consumidas por dia

Importante você fazer um controle da quantidade de alimentos que você vai ingerir ao longo do dia, principalmente da quantidade das refeições livres que estão dentro dos 20% calculados, afinal de contas se você acabar comendo uma quantidade maior do que a calculada provavelmente vai ingerir mais calorias e isso pode atrapalhar os seus resultados estéticos ao longo dos meses.

Uma importante dica é nunca sair de casa com muita fome para realizar as refeições livres, pois quanto maior a nossa fome maior será a nossa vontade de ingerir carboidratos refinados e gorduras, ou seja, haverá uma tendência de ingestão de calorias muito maior do que a programada.

Quais são os melhores alimentos para dieta flexível?

  • Alimentos ricos em Proteínas

Ovos, leite, iogurte, queijos, frango, carne magra de porco, carne vermelha e peixes.

Fontes de carboidratos e de gorduras boas

 

  • Alimentos ricos em Carboidratos

         Arroz, pães, frutas, grãos, batata doce, macarrão. Aqui também entram os alimentos que contém açúcares ou carboidratos refinados e que farão parte dos 20% da flexibilidade, como doces, pizzas, esfihas e biscoitos.

Também é possível optar por carboidratos como o açaí, que é capaz de fornecer muita energia durante o treino! Saiba tudo sobre o consumo de açaí no pré-treino com a Darkness!

 

  • Alimentos ricos em Gorduras

Gema de ovo, azeite, castanhas e oleaginosas, abacate, pasta de amendoim ou creme de avelã.

Sugestão de cardápio para dieta flexível

  • Refeição 1: Dark Whey, ovos e aveia.
  • Refeição 2: Filé de Frango ou Tilápia, arroz, feijão, algum legume, alface, tomate e pepino e uma fruta de sobremesa.
  • Refeição 3: Dark Whey ou Ovos, banana e aveia.
  • Refeição 4: Refeição livre.
  • Refeição 5: Filé de Frango ou Tilápia, arroz, brócolis, alface, tomate e pepino.

É possível fazer cutting com dieta flexível?

A grande maioria das pessoas consegue fazer o cutting com a dieta flexível, porém vale a pena lembrar que se você deseja secar com mais rapidez, os 20% da dieta flexível não podem ter alimentos ultraprocessados.

Se você tem pressa em alcançar os resultados estéticos, uma dica é usar apenas 10% das suas quilocalorias em forma de refeição livre, e não fazer isso todos os dias. Você pode fazer isso dia sim, dia não, ou até mesmo fazer as refeições livres somente no final de semana.

 Dieta flexível ou low carb: qual é a melhor?

Ambas as estratégias são interessantes e bem parecidas, a diferença é que na dieta low carb a inclusão dos 20% em alimentos ultraprocessados pode não existir, visto que a low carb prega um baixo consumo de carboidratos, e de preferência que eles sejam complexos.

Conclusão

Veja que a dieta flexível é uma ótima estratégia, porém você deve tomar alguns pequenos cuidados para não “viciar” em sempre comer alimentos açucarados e ricos em farinhas refinadas e gorduras.

Espero que tenham gostado pessoal! Continuem nos acompanhando para terem mais informações sempre. Sigam nossos canais no instagram @darknessnation e a Integral Tv no Youtube.

Abraços e até a próxima!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdo Relacionado

plugins premium WordPress
Rolar para cima