Catabolismo: O que e, o que causa e como evitar

O que é o Método GVT? | Blog Darkness

O ganho de massa muscular tem se tornado importante ao longo dos estudos científicos e da vida das pessoas, uma vez que é relacionado tanto com a nossa parte estética como com a nossa saúde.

Sempre que falamos em saúde, a nossa quantidade de músculos tem uma forte relação com esse processo, e o mesmo se dá para a parte estética, já que uma quantidade de massa muscular bem desenvolvida traz uma estética atraente para a maioria das pessoas.

Entretanto é importante entender os processos que prejudicam o ganho de massa muscular para que consigamos controlar essas variáveis.

Nesse sentido é importante entender que a quebra de massa muscular, o catabolismo muscular, pode ser dependente de algumas condutas nossas ao longo do dia e isso pode interferir negativamente no ganho de massa muscular ao longo do nosso período de treinamento.

Então, hoje falaremos sobre quais as estratégias práticas para você prevenir o catabolismo e impedir a quebra de massa muscular.

O que é catabolismo?

Catabolismo é a degradação proteica ou perda da massa muscular. Esse catabolismo pode acontecer de forma indesejada, como em uma estratégia errada na busca pela melhora estética, ou de forma positiva como em situações de jejum extremo durante dias.

Confira também: a história do fisiculturismo

O que causa o catabolismo?

Uma das causas do catabolismo muscular são os treinos muito longos, principalmente de características aeróbicas (como ciclismo e corrida).

Isso ocorre porque conforme vamos aumentando o tempo de exercício físico, as reservas de glicogênio muscular e hepático vão se acabando e o corpo começa a utilizar uma pequena quantidade de proteínas musculares, gerando então o catabolismo e trazendo uma perda não só de massa muscular, mas como também de força e de potência nos treinos.

Por isso, é importante você se atentar aos seus treinos e com a duração deles, e quando necessário utilizar suplementos para inibir o catabolismo durante os treinos.

Um bom exemplo desses suplementos é a glutamina. Venha com a Darkness e entenda mais sobre o que é e para que serve a glutamina!

Períodos prolongados de jejum também tem uma maior probabilidade de causar o catabolismo. Isso porque o jejum e os treinos volumosos têm como característica um ambiente mais catabólico, enquanto que treinos curtos e intensos tem mais afinidade com ambientes anabólicos.

Quais são os processos catabólicos?

De forma bem simplificada, o catabolismo é regulado pela interação de hormônios catabólicos e anabólicos. Por exemplo, durante o exercício ou em períodos prolongados de jejum temos o aumento de hormônios catabólicos como cortisol e glucagon e a diminuição de hormônios anabólicos, como a insulina.

Essa maior produção de hormônios catabólicos geram um ambiente de estresse no organismo fazendo com que ele utilize das suas reservas energéticas, e uma dessas reservas são as proteínas musculares.

É importante lembrar que esse catabolismo durante o exercício pode não ser tão significativo dependendo do tempo de exercício executado, porém, sabemos que quanto maior o tempo de exercício de endurance, maior será o catabolismo. Um exemplo disso são os ciclistas de longa distância, corredores e triatletas.

Quais os efeitos negativos do catabolismo?

Também é importante lembrarmos das diferenças entre a degradação proteica programada e o catabolismo.

Ou seja, no primeiro raciocínio temos as proteínas que são marcadas e eliminadas do organismo pois já estão velhas ou estão desestruturadas. Já no segundo raciocínio temos uma perda de proteínas que não necessariamente deveriam ser eliminadas naquele momento.

Por isso, quando falamos em turnover proteico (isto é, a renovação de proteínas em nosso corpo de maneira natural), estamos pensando nessa degradação das proteínas de forma programada e não no catabolismo induzido pelo exercício físico ou pelo jejum prolongado.

Perda de massa muscular

A perda de massa muscular é uma das consequências clássicas do catabolismo, o que pode gerar prejuízos em força e potência de um indivíduo adulto durante o dia a dia (inclusive durante os treinos).

Em indivíduos idosos, podemos dizer que além da perda de força e de potência, é possível que tenham uma perda de autonomia ao realizar as suas atividades do dia a dia.

Problemas de imunidade

Um outro prejuízo importante do catabolismo é a queda de imunidade, visto que durante um jejum prolongado podemos ter a falta de nutrientes de maneira adequada para o nosso organismo.

Outro problema é a possibilidade de prejudicar a produção de células do sistema imune e o funcionamento das mesmas, trazendo então uma queda na imunidade e deixando a pessoa mais suscetível a gripe, resfriados e outras condições.

Desequilíbrio hormonal

Um terceiro prejuízo que também pode ocorrer é o desequilíbrio hormonal, uma vez que a produção de alguns hormônios pode estar relacionada a quantidade de massa muscular em nosso organismo, como por exemplo o GH e a testosterona, assim a perda de massa muscular pode prejudicar essa resposta hormonal.

Isso significa que, em condições de estresse e jejum prolongado, podemos ter um desequilíbrio hormonal com maior produção de hormônios catabólicos levando a uma desordem no organismo.

Quais são os principais sintomas do catabolismo?

  •       Fadiga
  •       Perda de massa muscular
  •       Queda da imunidade
  •       Desânimo e mal-estar
  •       Diminuição do humor

Como já falamos anteriormente é importante você se atentar para não ter momentos de catabolismo com frequência para evitar prejuízos em seu organismo como fadiga, perda de massa muscular, queda de imunidade e diversos outros fatores estressantes para o seu organismo.

Catabolismo x anabolismo

É sempre importante se atentar na relação que existe no nosso corpo entre o anabolismo e o catabolismo, ou seja, ao longo do tempo o objetivo central é na maioria das vezes ter um anabolismo em vez de frequente catabolismo em nosso corpo, pois isso irá favorecer o ganho de massa muscular a longo prazo.

O que é anabolismo

É o aumento da massa muscular através da síntese proteica. Quando temos um ambiente anabólico, automaticamente temos o catabolismo diminuído, e vice-e-versa. Um exemplo dessa relação é durante o exercício (ambiente catabólico) e após o exercício, quando ingerimos carboidratos e proteínas (ambiente anabólico).

Durante o treino é comum termos ambiente catabólico, pois temos o aumento de hormônios catabólicos. Entretanto, treinos muito longos geram um ambiente prolongado de catabolismo, o que pode ser ruim para quem deseja ganhos de massa muscular. 

É importante citarmos que em alguns casos, como nos esportes de endurance, esse ambiente catabólico pode ser interessante – já que com o catabolismo temos a melhora da quebra e utilização de gordura como fonte de energia (processo importante para atletas de endurance).

Como evitar o catabolismo muscular?

Depois de tudo que nós já vimos, é importante você resgatar e lembrar as estratégias de como evitar o catabolismo, pois você já deve ter percebido que não é nada interessante para o nosso organismo viver catabolizando de forma rotineira.

Então agora iremos pontuar os principais tópicos de como você precisa evitar o catabolismo muscular.

Consuma aminoácidos

Aminoácidos tem uma função anticatabólica, ou seja, quebram o jejum e automaticamente o catabolismo. 

É por isso que uma das estratégias para evitar o catabolismo prolongado durante o exercício é consumir aminoácidos durante o treino (intra-treino).

Não zere o carboidrato

Com certeza os carboidratos são a principal estratégia anti catabólica que temos, principalmente pela sua grande eficiência na disponibilidade de energia (através da glicose liberada) ou pelo seu custo-benefício. Zerar os carboidratos aumenta a chance de um ambiente catabólico.

Preste atenção às suas horas de sono

Uma das coisas que as pessoas esquecem de se atentar, mas que é extremamente importante é a relação do nosso sono com a nossa massa muscular e com o catabolismo muscular, isso porque durante o nosso sono temos um papel importantíssimo da recuperação do músculo.

Muitas pessoas acreditam que basta você treinar de forma muito intensa e esquecem de separar horas adequadas para o sono e, consequentemente, acabam não se recuperando das sessões de exercício físico.

Por isso, lembre-se que o sono precisa ter várias horas e ter uma qualidade boa para que a sua recuperação muscular seja feita de forma eficiente para que o seu corpo não tenha o catabolismo.

Alimente-se corretamente

A alimentação é um outro pilar importante para evitar o catabolismo, afinal de contas é por meio dela que vamos organizar o aporte adequado de energia e de macronutrientes (como os carboidratos, as proteínas e os lipídeos).

Com o aporte organizado de energia e macronutrientes, nós garantimos um superávit calórico e, por consequência, um anabolismo muscular em vez do catabolismo muscular.

Evite bebidas alcoólicas

Também é importante você se atentar ao consumo de bebidas alcoólicas, visto que o álcool é um dos grandes responsáveis pelo catabolismo em nosso organismo.

Diversos estudos já mostraram que o álcool tem o poder de inibir o ganho de massa muscular conforme é utilizado.

Então, é importante tomar cuidado, pois muitas pessoas acabam fazendo ingestão de álcool na quarta-feira, na sexta, sábado e domingo. Só depois percebem que prejudicaram um ganho de massa muscular ao longo de quatro dias dos sete que temos em uma semana.

Conte com o suporte de suplementos quando necessário

Por isso, a utilização de alguns suplementos torna-se um papel-chave no anabolismo muscular e na prevenção do catabolismo, pois conseguimos utilizar algumas estratégias de suplementação (como por exemplo os hipercalóricos, as proteínas, e até mesmo os aminoácidos) para evitar o catabolismo muscular.

Você pode consultar de maneira bem rápida os melhores suplementos em nosso site, clique aqui.

O que fazer para não catabolizar no treino?

Uma das estratégias para não catabolizar no treino é ingerir nutrientes como carboidratos e aminoácidos. É uma excelente estratégia para diminuir o catabolismo durante o treino.

Afinal de contas, quando fazemos a ingestão de carboidratos estamos disponibilizando a energia para o organismo executar o treino de forma eficiente sem precisar estimular os hormônios catabólicos e gerar uma perda de massa muscular para utilização como fonte energética.

O que é treino catabólico?

Outro ponto está na relação treino/recuperação, já que treinar demais e não dar a recuperação adequada pode aumentar o catabolismo.

Isso ocorre pois quando fazemos exercício físico, geramos um stress da musculatura e o nosso organismo precisa se encarregar de fazer a recuperação tanto das células quanto das proteínas que foram desestruturadas pelo choque com o treino.

Dessa forma, a recuperação também precisa entrar na periodização de treinos para que os resultados na performance esportiva sejam os melhores possíveis.

Um dos suplementos que possui grande importância no anabolismo muscular é o hipercalórico, em nosso blog temos dicas de como consumir de maneira prática e correta.

Conclusão

Então, concluímos que a alimentação bem estruturada, o sono bem regulado e a capacidade de treinar em alta intensidade são fatores chave que podem determinar se o organismo terá um anabolismo ou um catabolismo.

Espero que tenham gostado, pessoal! Continuem nos acompanhando para terem mais informações sempre. 

Sigam nossos canais no instagram @darknessnation e a Integral Tv.

1 comentário em “Catabolismo: O que e, o que causa e como evitar”

  1. Pingback: Como perder gordura sem perder massa muscular - Blog da Darkness

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdo Relacionado

plugins premium WordPress
Rolar para cima